Archive for Junho, 2009

h1

Novo Álbum do Pixies a Caminho !

Junho 29, 2009

“O músico Frank Black, do Pixies, revelou que a banda deve gravar um novo disco em breve.

O novo projeto do grupo marcará também o início de uma parceria com algum diretor de cinema.

“A banda precisa trabalhar com um diretor de cinema. Quentin Tarantino ou alguém assim. Seria algo como ‘façam uma música para o filme, vocês serão o som’. Espalhem essa ideia, que eu acho que vai dar certo”, comentou o líder.

O Pixies não lança um novo álbum desde “Trompe Le Monde”, que saiu em de 1991.”

retirado de: http://www.cifraclubnews.com.br/noticias/18082-pixies-pensa-em-preparar-novo-disco-em-parceria-com-diretor-de-cinema.html

(postado por Kee-a)

Anúncios
h1

Michael Jackson morre em Los Angeles

Junho 25, 2009

O metamórfico mega pop star Michael Jackson morre dias depois de anunciar o seu treinamento físico com ninguém menos que HULK, o incrível.

(Postado por Dr. Zappia)

Michael Jackson As autoridades juram de pés juntos que houve parada cardíaca. Outros sites dizem que quando os médicos chegaram em sua residência ele já não estava respirando. Agora, responder o que causou a falência múltipla dos órgãos, isso ninguém fez até o momento.

É possível que como tudo na vida do astro, a morte dele continue sendo um fato controverso.

Convenhamos! Ir treinar com o HULK e depois morrer, velho, TEM que ter uma ligação hehe

A equipe TÍMPANOS presta sua solidariedade com os familiares (?) e espera que os Jackson Five! superem a tristeza de perder o ente querido. Nossas HOMENAGENS. Té logo.

E você, caro leitor, DO YOU REMEMBER THE TIME, quando você curtia as músicas e danças do Sr. Jackson?

Rogues: eu sabia que só Chuck Norris seria capaz de aguentar o treinamento com o incrível Hulk! Yeah!

Kee-a: Peço desculpas aos leitores pelas piadas feitas pelos dois outros críticos (wannabe). The King is gone…

h1

(1987) U2 – The Joshua Tree

Junho 23, 2009

Notas:

Rogues [ 10 ] Dr. Zappia [ 7,5 ] Kee-a [ 8,5 ]

Rogues: Meninas gritando desesperadamente. Choros incessantes. Calcinhas molhadas. Não, isto não foi o que moveu o u2 nessa obra. A banda estava empolgada e disposta a trabalhar arduamente. Não foi por menos. Resultado fanstástico!! The Joshua Tree emplacou como os que alguns chamam de “O melhor do U2”; o que não é pouco.

Assumiram o lado espiritual. Prova disto é a música gospel [Tomada de fôlego on]: “I Still Haven’t Found What I’m Looking For” [Tomada de fôlego off ], dentre outras.

O disco também reúne excelências como Where the streets have no name, With or without you e Bullet the blue sky, que tem uma pegada incrível e que me emociona toda vez que ouço; algo libertador.

Nota 10 sem titubear. Tudo bem que o Dr. Zappia e o senhor Kee-a já estão me enchendo o saco e dizendo que eu sou muito bonzinho e blá blá blá. Mas não consigo achar uma brecha neste álbum que mereça atenção crítica. É a grande eternidade produzida pelo U2!

Dr. Zappia: O disco realmente pode ser considerado o melhor do U2. Eu gosto muito de U2 mas eu tenho que reconhecer que “o melhor do U2” não tem nada de espetacular. O mérito deles foi realmente a experimentação nos efeitos, sem muito apelo aos solos dramáticos de guitarra. A ideia era fazer algo diferente e ser notado. Nessa linha, saíram “With or Without You”, “Bullet the Blue Sky” (regravada furiosamente pelo Sepultura), canções que hoje soam como músicas batidas, todo mundo conhece, gosta. Mas pra época era um som estranho – segundo a própria banda no DVD.

Enfim, se você se regozija incontrolavelmente com músicas pop, “Joshua Tree” é uma boa opção, embora eu, pessoalmente, recomendaria o retorno comercial da banda com “All that you can’t leave behind”. Nota 7,5.

Kee-a: antigamente o U2 era uma banda e não os salvadores do planeta Bono-Terra. É impossível ouvir U2 hoje sem ficar contaminado pelo fenômeno Jesus-Savior-Vox do vocalista. E por isso mesmo, com toda a certeza digo que Joshua foi o melhor CD (ok, na época vinil) que o U2 já produziu. Canções que tornaram-se baladinhas que, como bem lembrou nosso amigo Zappia, na época não eram nada baladas, mas uma coisa bem alternativa.

Mas o grande trunfo deste álbum é a simplicidade que vence a complexidade dos arranjos. Muito, mas muuuitos efeitos, câmaras de eco, reverbação exagerada… bem vindo aos anos 80; se for pecar, peque pelo excesso. E deu muito certo. Aumentou a banda ao patamar de celebridades do rock mundial.

O U2 estava no caminho certo, mas ainda não tinham achado o que estava procurando… (ok, tosco esse trocadilho ^^ )

h1

(2000) COLDPLAY – Parachutes

Junho 23, 2009

Notas:

Rogues [ 8,0 ] Kee-a [ 8,0 ] Dr. Zappia [ x ]

Rogues: Este álbum fez com que a banda, legitimamente inglesa, estourasse no ano de 2000 com seu som demasiadamente melódico. Além de falsete, os ‘caras’ até sabem fazer algo melhor. Não os confundam com radiohead, por favor; acreditem, tem gente menos avisada que confunde.

Com a voz chorosa do multi-instrumentista de Chris Martin, que tem um talento incrível de fazer cara de menino virgem, os ingleses do coldplay emplacaram sucesso mundial com a música “yellow”; que é cheia de vida.

Esse álbum chegou a vender 5 milhões de cópias, fato que mostra que a banda veio com tudo.

[momento TV Fama on] Sem contar que as mulheres adoram esse som “folk-melei-a-cueca”, que deu resultado, inclusive, com o próprio Cris, que, além de rico (o que já bastaria), casou-se com a linda atriz Gwyneth Paltrow [momento TV Fama off].

Kee-a: Parachutes foi o CD que fez com que o Coldplay não mais fosse encarado como um “mamãe-quero-ser-radiohead”. Porque convenhamos, até então, era! Este álbum mostra uma banda evoluída, com letras mais profundas, ainda piegas, mas completamente envolvente, daquele jeito que lhe coloca como se estivesse numa bolha (alguém se lembra dum comercial do Walkman em que o sujeito ficava dentro de um abolha enquanto ouvia música? É exatamente daquele jeito)

“Everything is not lost”, “Yellow”, “Trouble”, e tantas outras músicas que você  já deve ter ouvido em diversos filmes, seriados, comerciais, e tudo mais que você possa imaginar estão presentes aqui. Um ótimo CD! Que só nos deixou pensando “Deus, o que virá depois”, e tivemos “A Rush of Blood to The Head”, quase tão bom quanto e na sequencia… inacreditavelmente, tivemos um lixo chamado “X&Y”.

Mas tá OK, porque depois veio “Viva La Vida or Death And All His Friends” para mostrar que o Coldplay é hoje uma das melhores bandas na ativa do mundo.

h1

O incrível Hulk

Junho 22, 2009

‘Hulk’ prepara Michael Jackson para retorno aos palcos

(Postado por Rogues)

Loul Ferrigno, que interpretou o Incrível Hulk em uma série de TV dos anos 1970, é o responsável por preparar o físico de Michael Jackson para a série de shows que o cantor fará em Londres a partir do próximo dia 13. Ferrigno, que já foi duas vezes eleito Mr. Universo, já foi responsável por incrementar o físico de atores como Mickey Rourke e Chuck Norris.

Michael Jackson verde by Dr. Zappia

Michael Jackson verde by Dr. Zappia

Ouvi dizer por aí que o Michael Jackson cansou de ser branco. Quer ser verde agora.

Ps: Pro cara que incrementou (sic) o físico do Chuck Norris, deixar o branco que era negro ficar verde, vai ser mole, mole. Yeah!

h1

(1991) Pearl Jam – Ten

Junho 19, 2009

Disco condecorado pela equipe Tímpanos

Notas:

Rogues [ 10 ] Dr. Zappia [ 10 ] Kee-a [ 9 ]

Rogues: Caras sujos, típica roupa grunge-festa-junina-não-ligo-pra-moda, cabeludos, coturnos, barba por fazer, e que fazem as mulheres sentirem orgasmos múltiplos com o mesmo profissionalismo que um galã de hollywood consegue.

Tirando esses fatores irrelevantes (ou nem tanto), os caras de Seatle, liderado pelo iluminado Eddie Vedder, chegaram na década de 80 e, com este memorável álbum, lançado no início dos anos 90, atingem o posto nota ‘ten’ (não resisti o trocadilho).

Disco memorável recheado de músicas que entraram para o rol do melhor da música mundial, cito aqui Black, Jeremy, Even Flow, a inesquecível Alive, só pra dar gosto. Contenham a ovulação.

Falar desse álbum é falar um pouco da história do rock (ou do grunge para os que gostam de rotular tudo). Lançado despretensiosamente (prova disto é o encarte bizarro que da “ar” de um encarte pirata, sem contar a não tão profissional gravação, como dizem alguns críticos), os caras viraram os príncipes do grunge; não tirando nunca o posto de Neil Young, grande mestre norteador da banda.

Músicas fortes, inesquecíveis, belas e marcantes, fizeram um pouco do comércio musical algo mais dinâmico e novo. Tá, eu sei, deu pra perceber que eu amo esse som.

Dr. Zappia: Esse Golden Badge é a condecoração máxima do Tímpanos, prêmio dado aos álbuns que recebem votação acima de 9,0 nos comentários de todos os 3 críticos wannabe (Vossas Senhorias Rogues e Kee-a[bo]). Que maravilha.

Tem gente que acha que Ten é uma coletânea.

E sobre a qualidade da gravação, os próprios integrantes do Pearl Jam já manifestaram o desejo de remixar o disco (leia-se mixar de novo, o que não tem nada a ver com batidas tecno/dance) pra tirar o “excesso de reverb”. Nossa, frescura do #%$&*#@. Esse é o típico comentário do babaca que faz uma obra prima e diz: “ah, acho que tem um defeitinho aqui…” ahzivude né? NEH?

Parar com a falsa modéstia e aceitar. Nota 10, com direito ao Badge PORQUE EU JÁ SEI que o Kee-a vai dar 9 ou 10 (até porque ele quer estreiar logo o Badge hehe).

Kee-a: Meu amigo Dr Zappia não me conhece há tanto tempo mas me conhece o suficiente para saber que nunca daria uma nota menor que 9 para Ten. Mas 10 também não dou. Explico:

Quando o Grunge era apenas uma vertente de “gente que toca mal e canta de um jeito estranho” para a mídia, tivemos duas bandas que provaram para o mundo que isto não condizia com a verdade. Ok, havia (e existem) várias outras importantes e muito boas, mas para a geração MTV, Pearl Jam e Nirvana certamente eram os únicos imperadores.

Titio Eddy Vedder com Ten mostrou o que é o Grunge e que suas melodias simples tem força, e muita! Berre a angústia de “Jeremy”, cante o hino “Alive” (e que hino!) e se renda a estranha delicadeza de “Oceans”. Um álbum fantástico!

“Então por que não 10?” você fã (e chato! Todo fã de qualquer coisa é…) me pergunta. “Ten”, me desculpem os xiitas, não é 100% , algumas faixas são o puro e simples grunge como qualquer outro, são seus momentos de “quase lá”. E não há nada ruim nisso. É um ótimo manifesto!

h1

Nu com a mão no bolso

Junho 19, 2009

Tico Santa Cruz, vocalista do detonautas, tira a roupa em protesto contra o Senado.

(Postado por Rogues)

Indignado com a situação política do Brasil e o senado, o cantor divulgou nesta quarta-feira (17) uma foto pelado com um protesto.

O peladão Tico Santa Cruz

O peladão Tico Santa Cruz

Caramba! Tico Santa Cruz?! Pelado?!? Isto já é covardia. Nem os nossos ilustres senadores merecem tamanha agressão.

Agora sim o Senado vai entrar no eixo. Se o Nando Reis, Mick Jagger e Arnaldo Antunes também tirarem a roupa como protesto, garanto que o Congresso fecha de vez e vira um grande mosteiro.